terça-feira, março 16, 2010

O juiz e o lunático

Um infeliz foi pego roubando um estojo de canetinhas coloridas. Preso em flagrante, foi recolhido e, tempos depois, levado a julgamento.

- Para que o senhor roubou as canetas ? - perguntou o juiz (aquele mesmo que comeu a cabra).

- Para escrever - respondeu o réu.

Pela resposta, o juiz percebeu que o rapaz era prejudicado. Apertou aqui e ali e descobriu que o sujeito veio do nordeste com promessa de acolhida e trabalho. Não conseguiu nem um nem outro e foi para debaixo da ponte. Vivia do acaso e do alheio.
O magistrado sentiu pena. Era mais um caso para a assistência social do que para o xadrez. Enquanto ditava para o escrivão, o pobre diabo pediu licença.

- Doutor, o senhor vai me soltar?

- Se o senhor não me interrromper de novo, vou.

- O senhor pode me deixar preso até dezembro? - indagou o réu.

Era ainda setembro. O juiz estranhou o pedido e o rapaz desabafou:

- No começo eu sofria muito na cadeia. Mas agora está bom. Tem até água quente na cela. E depois vão servir peru no Natal. O senhor já comeu peru?

Comovido, o magistrado mandou um funcionário comprar um sanduíche de peito de peru para ele. Não tinha, voltou com um churrasco grego. Para não estragar a surpresa, não contaram isso ao preso, que lambeu os beiços.

Na saída da audiência, fizeram uma vaquinha e deram algum dinheiro para o pobre coitado.

3 comentários:

J. disse...

É a triste realidade da maior parte das pessoas... E a gente se preocupa com coisas tão pequenas...
Abraço.

leandromdelima@gmail.com disse...

Ah não, vai começar outra história do Juiz?
rs

Marcelo de Andrade disse...

Mas o que é que vc tem contra juiz?

Um abraço,

Marcelo de Andrade