sexta-feira, fevereiro 12, 2010

O juiz e a cabra - parte 2

O juiz ficou atônito com a informação de que havia comido a cabra em poder da força policial e que deveria ser restituída ao dono.

- Tem algum problema, doutor? – perguntou um dos dois policias que guarneciam a cidade.

- Se a palavra “peculato” significa algo para vocês dois, tem – respondeu o magistrado, antevendo problemas.

- O que faremos então, doutor? O dono do animal que virou churrasco vai reclamá-lo na delegacia.

- Comprem uma cabra igualzinha e dêem para ele. Nem vai perceber a diferença. Vão, vão, depressa!

A dupla seguiu em diligência. Mais tarde, procuraram o juiz:

- Doutor, tudo em ordem. Reposição feita.

No dia determinado, o dono compareceu à delegacia e resgatou a cabrinha.

O juiz suspirou aliviado e retomou o seu expediente de uma hora diária.

Poucos dias depois, chamam o magistrado no gabinete:

- Doutor, tem um cidadão aqui querendo falar com o senhor (cidade pequena é assim, não precisa marcar hora).

- Mande entrar, disse o juiz.

- Ele não pode. Quer conversar com o senhor aqui fora.

- Como não pode? Não precisa ter cerimônia (a cidade era tão pequena e ordeira que quando o juiz entrava no restaurante, todos se levantavam).

- Ele pode, quem não pode é a cabra. Ela pode fazer feio aí dentro.

O juiz ficou surpreso. O que aquele sujeito queria com ele? E ainda trouxe a cabra... Na certa, queria agradecer, trazia algum litro de leite de cabra, essas coisas. O povo daquela cidade era muito dado a essas gentilezas para com as autoridades. Levantou-se e foi à porta.

- Tarde, doutor.

- Tarde. O senhor queria me ver?

- Sim. Sabe o que é doutor? Não posso ficar com essa cabra.

- Uai, homem, por quê?

- Essa cabra não é minha.

Fim da parte 2. Continua...

6 comentários:

Fernando Felipe disse...

E agora José?

Carlão Pacheco disse...

Já sei: ele comia a cabrinha antiga, mas essa não tava nem aí pra ele...claro que ele se tocou que era outra cabra. Rsrsrsrsrsrsrs.

Carlão Pacheco disse...

Alkguém viajou na parte 2, que é a 1, então...

Marcelo de Andrade disse...

Prezados, aguardem a tarceira parte...

Marcelo

Julianne Bisognini disse...

Seguindo a narrativa de As mil e uma noites? Boa tatica! Esperando pela parte 3.

Beijos!

Marcelo de Andrade disse...

Oi, Ju. Tudo bem? A sherazade salvou a vida com essa tática. Eu sou menos exigente. Gostaria de ganhar alguns trocos com essas histórias. Eu já me daria por satisfeito. Valeu a visita.

Marcelo