segunda-feira, fevereiro 08, 2010

O dia em que o Batman me barrou na DC Comics ou o dia que conheci Alfred E. Neuman

Na primeira vez que fui a Nova York - quero dizer, na única vez em que estive lá - montei um roteiro de visitas um pouco esquisito, que incluía, entre outras coisas, visitar algumas redações. A primeira da lista era a DC Comics, editora do Super-Homem.

No segundo dia da estada, fui munido da minha câmera fotográfica para a Broadway. Logo de cara, uma surpresa: a recepção era decorada como a Batcaverna e até a sinalização das rotas de fuga do andar eram desenhadas em estilo comics.

Apresentei-me como jornalista brasileiro e manifestei minha vontade de conhecer o staff da editora.

Tudo isso sem agendar... É claro que não iria rolar. Nem os culpo.

Após receber um "no" bem grande, já estava pensando em desistir desta peregrinação nerd quando descobri que a redação da revista Mad, que também pertencia à Time-Warner, funcionava no mesmo prédio.

Não tive dúvidas. Migrei alguns andares e repeti o ritual. Disse que era jornalista do Brasil e que queria muuuuito visitar a redação etc.

Minutos depois, uma simpática moça, de sobrenome Gaines (Bill Gaines era o publisher original da Mad, na década de 50) recebeu-me e me apresentou à equipe, mostrou a capa da próxima edição e um trabalho original do Mort Drucker, um dos mais famosos desenhistas de sátiras cinematográficas da casa. E ainda me presenteou com vários exemplares da revista!

No final, a apoteose: a Gaines tirou uma foto minha ao lado de uma estátua do mascote da Mad, o Alfred E. Neuman, que ficava na entrada da redação!

Foi melhor do que ganhar um cinto de utilidades fake.

Nenhum comentário: