quarta-feira, fevereiro 25, 2009

O orangotango triste


Em sua jaula de vidro,
o orangotango triste
assiste a um desfile macabro.

O espetáculo bizarro consiste
em um monte de humanos sem educação
fazendo caretas e chistes
para um injustiçado  cativo.

Pesaroso, o macaco pensa consigo:
"No abrigo estou seguro e isso me conforta.
Já pensou se eu estivesse do outro lado do muro,
além desta porta?"

E assim o macaco-estátua,
empalhado em nostalgia,
faz homenagem pungente
à nossa covardia.

A cela transparente,
e o cenário de mentira,
são um reflexo da falsidade
que macaqueia na alma da gente. 

Orangotango, meu amigo,
Saíste melhor que a encomenda.
Foste contratado para palhaço peludo,
Mas você imita à perfeição 
as mazelas do mundo.

Nenhum artista dito humano 
jamais me tocou assim.
Bendito orangotango,
se isso te consola, 
saiba que sempre serás 
mais que um astro para mim.
 
Não existe nesta cidade 
ingresso mais caro do que o que paguei hoje
para ver o orangotango triste.
O bilhete  custou a sua liberdade 
e ainda mais  alguns reais.



quarta-feira, fevereiro 18, 2009

Dicionário Ilustrado - Guerra


Guerra é um meio  de atingir a paz... dizimando o oponente.

Somente quem nunca foi civil dentro de uma guerra endossa essa barbárie.

Quem passa por uma guerra - vencido ou vencedor - sempre sai pior do que quando entrou nela.





domingo, fevereiro 15, 2009

A AACD e o futebol

Um time paulista entrou em campo usando um uniforme com a logomarca da AACD no domingo.
 
Eu não sabia que essa prestimosa entidade ainda fazia pernas de pau.

A Venezuela e o deputado espanhol

Da série cartuns que não tive tempo de desenhar:


De Chaves para o deputado espanhol Luis Herrero, expulso da Venezuela:.
 
¿Por qué no te callas?

quinta-feira, fevereiro 12, 2009

Dicionário Ilustrado: Dinheiro


500 posts

Quando eu comecei este blog, não imaginava que ele renderia tanto pano para manga.

Já estou na marca dos 500 posts (um terço deles, na verdade, deve ser de encheção de linguiça) e ainda com ideias para outros mais.

Agradeço a todos que de uma forma ou de outra prestigiam ou divulgam meu alterego cartunista.

Um abraço.

Marcelo de Andrade

quarta-feira, fevereiro 11, 2009

Bowie e nós

O mundo em volta está um horror.
Então na vitrola Bowie toca "Heroes"
e maior que tudo isso fica o nosso amor.

Para Mimi

quarta-feira, fevereiro 04, 2009

Projeto de menina


Carta de Mariazinha aos donos do mundo



Senhores donos do mundo,

Tenho 2 anos. Desculpem os erros de português. Ainda não sou alfabetizado. Mas não faz mal. Papai escreve por mim. Desculpem o português dele também. É que ele ainda não decorou as novas regras do acordo ortográfico. Mas não tem importãncia. Como esta carta é em português, provavelmente os senhores não vão ler o que está escrito. Mas tudo bem, os senhores não costumam dar bola nem para o que falam as suas próprias crianças, porque dariam bola para mim?

Mesmo assim, vou fazer a minha parte (se todo mundo fizesse a sua parte, já resolveria, mas isso é outro problema).

Papai e mamãe contaram para mim que o mundo está ficando tão quente quanto a pipoca que sai do microondas. Daí eu fiquei pensando: “Será que nossas cabeças vão estourar que nem a pipoca no microondas?”.

Então falei para papai e mamãe que eu não queria estourar que nem a pipoca do microondas. Daí eles disseram que também não gostariam de virar pipoca. Mas que tudo dependerá do que os donos do mundo vão fazer para diminuir um tal de aquecimento global.

Eles disseram também que muitos desses homens poderosos não querem parar de soltar fumaça no céu (parece que a fumaça no céu é que deixa o nosso planetinha quente como microondas). É por isso que os cangurus e os koalas estão virando pipoca na Austrália. E é por isso que tem chovido muito no parquinho. A areia fica toda molhada e não dá para a gente brincar.

Papai me contou que os donos do mundo precisam de um negócio chamado sustentabilidade. É um negócio complicado, mas parece que é o seguinte: eles não podem gastar todos os rios, as árvores e os bichinhos hoje porque senão as criancinhas de amanhã vão ficar sem rios, árvores nem bichinhos.

Só vai ter pipoca no planeta.

Mas foi aí que eu entendi o que os senhores, donos do mundo, estão fazendo. Papai e mamãe não entendem porque são pessoas simples, como eu disse. Eu entendi (meus vovôs e vovós vivem dizendo que sou esperta).

Para que as crianças de amanhã não fiquem sem rios, árvores e bichinhos, e já que não tem rio, árvores e bichinhos para todo mundo agora e amanhã, vocês estão transformando as pessoas em pipocas hoje para sobrar um pouquinho de rios, árvores e bichinhos amanhã. Agora entendi essa história de sustentabilidade.

Os senhores são muito sabidos.

Um abraço,

Mariazinha



terça-feira, fevereiro 03, 2009

A crise e os gurus do marketing e da administração

Fracassos

Um cientista que faz pesquisa experimental me disse que aprende mais com seus erros do que com seus acertos.

Em minha vida, acumulei vários fracassos profissionais. Retumbantes e veementes fracassos.

Certa feita, falhei em um teste de datilografia. Era para uma vaga no departamento de contabilidade de uma agência de publicidade, então conhecida como Norton. E eu queria trabalhar na criação.

Noutra ocasião, fui gongado num teste para roteirista free lancer de gibis da Mônica. Tomei uma coelhada.

A vida avançou, meu horizontes se ampliaram, amadureci.

Vou tentar agora fazer roteiros para aquela agência de publicidade.

E ver se lá no departamento de contabilidade do estúdio do Maurício de Sousa precisam de datilógrafo free-lancer.

A raposa e as galinhas

Somente alguém com a estatura moral de Sarney teria a legitimidade necessária para bem representar o Senado.