quinta-feira, julho 23, 2009

O inquisidor

Talhava letras no papel com o aço da sua pena,
cada palavra ferrada como uma tatuagem
no braço de quem era endereçada a mensagem.

A crítica banhada em nanquim,
assim consagrava o veredicto:
demônio ou serafim,
profano ou bendito.

Nenhum comentário: