terça-feira, junho 09, 2009

Publicidade minimamente invasiva - uma questão de sobrevivência

O Marketing está precisando cada vez menos de profissionais criativos.

O que o Marketing e áreas complementares ou afins (Publicidade, Propaganda etc.) precisam é de cirurgiões. Daqueles, com bisturi bem preciso, que conseguem identificar de olhos fechados e com o tato os diferentes tipos de tecidos e extirpar o que não é necessário ou que não está funcionando bem.

No entanto, acompanhando a evolução das técnicas hospitalares, este cirurgião também deveria empregar procedimentos minimamente invasivos, ou seja, aqueles menos agressivos ao paciente e que possibilitam uma rápida recuperação.

Nada de avalanche de malas-diretas, encalhando na porta dos apartamentos, ou de torrente de spams atolando caixas postais. Muito menos ainda abordagens indiscretas ou impertinentes, ou anúncios que insultam a inteligência ou bom gosto do público.

Este cirurgião, apesar do olho clínico extremamente treinado e domínio técnico, deverá tomar suas decisões e adotar suas boas práticas cirúrgicas segundo o princípio máximo da Medicina: a preocupação genuína com o bem-estar do seu paciente. Isso, a meu ver, é a principal deficiência do Marketing e da Publicidade. Vale tudo, hoje em dia.

Marqueteiros e publicitários, façam, com urgência, uma pós-graduação em Medicina ou até em Enfermagem, antes que os profissionais de saúde descubram esta demanda reprimida por bom senso nas fileiras da Propaganda e do Marketing.

3 comentários:

Pedro Miró disse...

Hahahahahahahahahahahahaha
MUITO BOM! MUITO BOM!

Ingridtje disse...

É verdade,
eu que sou da área de comunicação sei como tá preta a nossa situação!

Andréia disse...

PERFEITO