quarta-feira, fevereiro 04, 2009

Carta de Mariazinha aos donos do mundo



Senhores donos do mundo,

Tenho 2 anos. Desculpem os erros de português. Ainda não sou alfabetizado. Mas não faz mal. Papai escreve por mim. Desculpem o português dele também. É que ele ainda não decorou as novas regras do acordo ortográfico. Mas não tem importãncia. Como esta carta é em português, provavelmente os senhores não vão ler o que está escrito. Mas tudo bem, os senhores não costumam dar bola nem para o que falam as suas próprias crianças, porque dariam bola para mim?

Mesmo assim, vou fazer a minha parte (se todo mundo fizesse a sua parte, já resolveria, mas isso é outro problema).

Papai e mamãe contaram para mim que o mundo está ficando tão quente quanto a pipoca que sai do microondas. Daí eu fiquei pensando: “Será que nossas cabeças vão estourar que nem a pipoca no microondas?”.

Então falei para papai e mamãe que eu não queria estourar que nem a pipoca do microondas. Daí eles disseram que também não gostariam de virar pipoca. Mas que tudo dependerá do que os donos do mundo vão fazer para diminuir um tal de aquecimento global.

Eles disseram também que muitos desses homens poderosos não querem parar de soltar fumaça no céu (parece que a fumaça no céu é que deixa o nosso planetinha quente como microondas). É por isso que os cangurus e os koalas estão virando pipoca na Austrália. E é por isso que tem chovido muito no parquinho. A areia fica toda molhada e não dá para a gente brincar.

Papai me contou que os donos do mundo precisam de um negócio chamado sustentabilidade. É um negócio complicado, mas parece que é o seguinte: eles não podem gastar todos os rios, as árvores e os bichinhos hoje porque senão as criancinhas de amanhã vão ficar sem rios, árvores nem bichinhos.

Só vai ter pipoca no planeta.

Mas foi aí que eu entendi o que os senhores, donos do mundo, estão fazendo. Papai e mamãe não entendem porque são pessoas simples, como eu disse. Eu entendi (meus vovôs e vovós vivem dizendo que sou esperta).

Para que as crianças de amanhã não fiquem sem rios, árvores e bichinhos, e já que não tem rio, árvores e bichinhos para todo mundo agora e amanhã, vocês estão transformando as pessoas em pipocas hoje para sobrar um pouquinho de rios, árvores e bichinhos amanhã. Agora entendi essa história de sustentabilidade.

Os senhores são muito sabidos.

Um abraço,

Mariazinha



2 comentários:

Peri disse...

Ainda bem que boas idéias pipocam aqui. Podiam pipocar também nas cabeças-microondas-vazias dos donos do mundo.

Marcelo de Andrade disse...

Este texto tem dois merchandisings: de um fabricante de microondas e outro de pipocas.

Obrigado, apareça sempre.

Marcelo