sexta-feira, dezembro 19, 2008

A baratinha

A barata, coitadinha,
se perdeu na cozinha.
Zanzou pelo azulejo,
passeou pela parede,
sapateou na pia.

De repente
levou um safanão.
Feito barata tonta
tentou fugir,
mas um chinelo voou na sua direção.
E tudo ficou escuro à sua frente.

A baratinha,  desbaratada,
caiu aflita
na cerâmica esmaltada.
Em agonia procurou
o autor da gratuita vilania:

"Por que tanto
ódio em seu coração?"-
 perguntou a baratinha,
estrebuchando no chão.

Nenhum comentário: