sábado, março 29, 2008

Tiro no pé

Algumas publicações famosas, como The Independent e a Vanity Fair, têm por hábito convidar alguma personalidade para tocar uma edição especial. Em geral, escolhem alguém "com atitude" e conhecimento anêmico sobre como funciona uma revista ou jornal: um cantor, uma atriz e por aí vai .

A moda já chegou ao Brasil, para variar.

Com isso, esses veículos comprovam o que muita gente já desconfiava: que é muito fácil comandar uma redação.

P.S.: E você, já imaginou como seria uma edição do seu jornal sob sua direção, do jeito que você gosta? O meu jornal ideal não teria coluna social, nem futebol e nem obituário. Eu exorcizaria os publieditoriais. Também não teria suplemento especial sobre autos ou caderno feminino. Eu riscaria a síntese das novelas e expurgaria também artigos de políticos ou "formadores de opinião" com antecedentes criminais ou que têm sua probidade questionada na Justiça. Eu ainda defenestraria matérias pagas, publicidade de cerveja, de bancos e telefônicas. Igualmente baniria as propagandas dirigidas a crianças e de especulação imobiliária. As páginas sobre economia seriam mais econômicas.

É... O meu jornal ideal, se existir algum dia, estará fadado à inexistência.

2 comentários:

Julianne Bisognini disse...

Seria uma versão impressa do seu blog entao?
Quero ser assinante. Pra que número eu ligo?

Beijos,

Marcelo de Andrade disse...

Ju, obrigado pela adesão ao jornal imaginário. Mas um título com esta linha editorial preciaria mais do que a bem-vinda boa vontade dos camaradas. Precisaria também despertar o interesse dos desinteressados e também dos desafetos. Como até hj não recebi um comentário negativo ao blog, acho que estou sendo pouco eficiente como comunicador. rsrsrs Um abraço e mandar ver no seu blog, o Oficina de Anões.